Japoneses são mesmo workaholics?

Japoneses são mesmo workaholics?

Existe um grande mito sobre os japoneses trabalharem demais, será verdade? De fato, eles levam a sério tudo o que fazem, sua dedicação é reconhecida por onde passam e não é de hoje.

Historicamente, esse povo tem valores muito fortes, como a prosperidade constante, o sustento da família e atividades que levam progresso ao País e à sociedade. Conheça um pouco mais sobre a rotina de trabalho no Japão:


A Jornada de Trabalho

Diferente do que muitos pensam, a maior carga horária do mundo é a do México. O Japão, na verdade, ocupa o 17º lugar de uma pesquisa recente feita pelo OECD – Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Por mês, os japoneses costumam trabalhar 40h semanais ou 8h por dia, de acordo com sua lei trabalhista. O funcionário descansa ao menos 1 dia por semana ou 4 dias por mês. Em pequenos estabelecimentos ­ com menos de 10 funcionários, como comércios ­ é permitida a jornada de trabalho de até 44h semanais.


A hora do intervalo

Assim como no Brasil, a hora de descanso é um direito, mas não é remunerada. Quem trabalha 8h por dia faz 1h de intervalo e quem trabalha 6h faz 45 minutos. Para esses 2 tipos de funcionários, o tempo de intervalo pode ser divido em pausas menores ao longo do dia.


O salário

Conhecido como Saitei Chingin, o salário dos japoneses é calculado pelo número de horas trabalhadas, mas não há uma base definida pelo Governo. O salário mínimo no Japão é 140 mil ienes, cerca de US$ 1.400, considerado baixo pela maioria dos trabalhadores.


Hora extra

O trabalhador japonês também faz hora extra, mas existe um limite: é permitido até 45h, onde eles ganham de 25% a 50% a mais do salário. Caso um funcionário queira trabalhar no dia de descanso, é permitido, e o valor desse dia trabalhado é 35% mais caro do que um dia normal de trabalho.


Férias

Sim, os japoneses também tiram férias, além das folgas exigidas por lei, mas ao contrário do Brasil, lá o período máximo é de apenas 20 dias. Outra diferença é que, a partir dos 6 meses de atividade na empresa, o trabalhador já tem direito a 10 dias de férias.


O mercado de trabalho no Japão atualmente oferece muitas vagas em diversas áreas como engenharia, tecnologia da informação, contabilidade e vendas. Se interessou?

Veja aqui nossa matéria sobre oportunidades de trabalho para conhecer país!