Conheça a vitrola a laser do Japão

vitrola, a laser, Japão, disco de vinil, LP,  vinis, toca-discos, aparelho de som, tecnologia avançada, ritual, curtir uma boa música, nova tecnologia, como funciona, digitalizar, vantagens, qualidade, durabilidade, comprar

Você já teve uma vitrola? Já ouviu algum disco de vinil ou pôde ver aquela prática, quase um ritual, de colocar um LP (abreviação de long play) para tocar? Se sua resposta foi não, saiba que ela está de volta.

E o melhor, com tecnologia avançada. A ideia de fazer um toca-discos a laser partiu de uma empresa japonesa para trazer de volta o prazer de curtir uma boa música.

Tudo começou nos anos 80, quando os CDs roubaram a atenção do mercado fonográfico – o que afastou todo o investimento que seria direcionado para essa nova tecnologia. Mas em 1989, o empresário japonês Sanju Chiba resolveu dar andamento nesse projeto que faz sucesso até hoje.


Como funciona?

No modelo antigo da vitrola, a agulha passava pelos sulcos do disco para fazer a leitura, agora, o laser, além de ter essa funcionalidade, é capaz de digitalizar e armazenar as informações no aparelho de som.


Vantagens

Para os fãs e colecionadores dos vinis, a boa notícia: o aparelho traz o benefício de conservar toda a qualidade e originalidade da música e evita o desgaste dos discos, aumentando a durabilidade.


Para comprar

Se você ficou animado, é bom começar a juntar as economias. O brinquedo custa cerca de R$ 46 mil.