O sucesso da gastronomia japonesa no Brasil e os chefs protagonistas

O sucesso da gastronomia japonesa no Brasil e os chefs protagonistas

Quem nunca esbarrou com um restaurante japonês que atire a primeira pedra – ou o primeiro sushi. Em várias cidades brasileiras, é comum ouvir “vamos comer um temaki?”. Mas, apesar do rápido crescimento, as “casas japas” trabalharam muito para cair nas graças do consumidor.

“O povo brasileiro, de uma maneira geral, inseriu os restaurantes japoneses nas opções gastronômicas. Vemos famílias inteiras à mesa, experimentando pratos e receitas diversas. Tempos atrás, quase não observávamos ocidentais entrando nos estabelecimentos. Hoje, representam a maioria dos clientes. Isso tudo é um resultado do trabalho árduo, com muito estudo e adaptações de receitas”, avalia a chef Sheila Arisawa.

Os números comprovam: existem cerca de 3 mil restaurantes japoneses em funcionamento, de acordo com a Associação de Restauradores Gastronômicos das Américas (Aregala), e a cada ano surgem mais estabelecimentos desse tipo. Sushi e sashimi, portanto, estão mais do que na moda.

Os renomados chefs de cozinha ajudaram a implantar a culinária japonesa no circuito gastronômico e a expandir o “estilo japonês de comida”. Com disciplina e atentos à qualidade da matéria-prima, hoje são consagrados pelo público e pela mídia e suas mesas são disputadas. Mesmo mantendo a base da culinária típica, cada um criou seu estilo para apresentá-lo em seus pratos. São vários os nomes reconhecidos da alta gastronomia oriental no Brasil, entre eles Jun Sakamoto (restaurante de mesmo nome), Tsuyoshi Murakami (Kinoshita) e Shin Koike (Aizomê).

“É importante transmitir as origens dos pratos japoneses não só para o público brasileiro, mas também para os profissionais que trabalham com a gastronomia aqui. É imprescindível que se mantenham essas origens, tanto dos ingredientes como das técnicas, pois se tiver muitas adaptações, perdemos a essência da milenar culinária japonesa”, enfatiza Koike, um dos mais prestigiados da atualidade.

Os primeiros restaurantes – Os primeiros restaurantes nipônicos já eram visitados desde 1954, em São Paulo, principalmente no bairro da Liberdade, onde se estabeleceram muitos orientais.

O estilo tradicional foi o que prevaleceu no começo. Com o passar dos anos, os restaurantes foram se intensificando e ampliando cada vez mais seu cardápio. “Hoje existe sushi com geleia de morango e outras combinações. No Brasil, a criatividade vai longe”, resume Sheila.