>

Homens e robôs trabalhando!

Vêm aí, mais novidades tecnológicas do Japão

Desde a revolução industrial, a relação do homem com o trabalho não para de evoluir.

Da agricultura para a indústria, das fábricas para as muitas categorias de prestação de serviços; e mais recentemente, com a interação do homem com a tecnologia avançada, muitas atividades profissionais estão sofrendo uma enorme reconfiguração.

Estudos indicam que por volta de 2025, cerca de 1/4 das atividades profissionais já estará sendo desenvolvido por máquinas.

Profissões como medicina, advocacia e jornalismo são algumas das que estão na mira dos que especulam que, em breve, as máquinas poderão fazer sozinhas o trabalho dos seres humanos.

Cientistas do MIT e da Universidade de Boston divulgaram que, na economia americana, cada robô já pode ocupar o lugar de 5,6 trabalhadores.

Na China, robôs apenas nas linhas de montagem já é coisa do passado. Há uma indústria que opera com 100% de automação; e muitas outras empresas pretendem seguir o mesmo caminho.

Atualmente, na área de saúde, computadores ajudam médicos em cirurgias e robôs são úteis para desenvolver atividades de precisão com rapidez. O cruzamento dos dados de saúde dos pacientes pode ser feito de forma mais completa com o uso de alguns programas. Em breve, aqueles, que acreditarem nas máquinas para confiar sua saúde, poderão ser operados por robôs.

O tempo que um computador leva para ler e analisar processos criminais e códigos penais é muito inferior ao que um advogado levaria; resta saber quando e se ele terá a expertise dos advogados para construir seus argumentos de defesa e de acusação.

Com a evolução dos programas de pesquisa, análise e conexão entre os dados, muitas plataformas de conteúdo serão atualizadas por robôs e não mais por jornalistas e redatores.

Grande parte das prestações de serviços, como táxi e hospedagem em hotel, por exemplo, está sendo acionada por aplicativos com muito mais rapidez e economia.

Além dos aplicativos estarem ocupando o espaço que antes era monopolizado pelos táxis, acredita-se que, em breve, os próprios aplicativos serão ameaçados com a propagação dos carros sem motoristas.

Em todos os outros movimentos migratórios da mão de obra, o ser humano sempre se adaptou e descobriu formas criativas e funcionais para permanecer ativo no mercado de trabalho.

Já se sabe que grande parte das pessoas que estão nascendo trabalhará em profissões que ainda não existem.