A invenção dos hotéis cápsulas

A invenção dos hotéis cápsulas

Antes mesmo do arquiteto Kisho Kurokawa saber que um dos maiores problemas do Japão seria a falta de espaço físico, nos anos 70, ele já havia inventado os hotéis cápsulas.No início, todos achavam estranho um lugar que cabia apenas uma pessoa deitada, mas seu projeto tornou-se referência em otimização de espaço.

São diferentes opções de hospedagem,. Existem hotéis que não aceitam mulheres ou aqueles em que os cômodos são separados por sexo como é o caso do First Cabin Kyoto Karasuma, que oferece o serviço com divisões de gêneros até nos banheiros.

Um dos fatores mais conhecidos que levam as pessoas a hospedarem-se durante uma noite é a correria da metrópole. O lugar é uma boa opção para quem perde a hora do trem por trabalhar até mais tarde, por exemplo. O serviço também é ideal depois de uma noite agitada. As baixas tarifas são um atrativo para quem está na rua e não tem para onde ir.

O mais curioso é saber que esses hotéis estão se tornando uma atração turística, os viajantes querem viver a experiência de passar uma noite em um lugar inusitado.

Por dentro da cápsula

Em média, as cápsulas têm 1m de largura x 1,25 m de altura x 2 m de comprimento, com capacidade apenas para um colchão. Os quartos têm ar condicionado, tomadas, controle remoto e televisão. Para não atrapalhar o sono do vizinho, o usuário recebe um kit com pijama para passar a estadia e um fone de ouvido para assistir à TV sem emitir sons altos. Outra vantagem é que a porta não pode ser trancada, então, se você sofre de claustrofobia, fique tranquilo, é possível sair e entrar quando quiser.