Jardim japonês e seus principais elementos

Jardim japonês e seus principais elementos

Entrar em um jardim japonês é vivenciar um pedacinho do Japão em sua perfeita harmonia. O local é construído para equilibrar elementos da natureza e da cultura oriental que representam o fluxo da vida. O passeio em cima de pedras e cascalhos simboliza as escolhas que são feitas ao longo do caminho.

O lugar é um convite para acalmar a mente, contemplar a natureza e praticar meditação. Os elementos que formam um jardim zen estão carregados de significados místicos que vão além da estética do paisagismo.

Água: um dos principais elementos do jardim é encontrado em forma de cascata, riacho ou lago. A água representa o ciclo completo da vida, do nascimento até a morte.

Carpas: simbolizam prosperidade, sorte e persistência. A habilidade de nadar contra a corrente é interpretada como determinação em superar os obstáculos encontrados ao longo da vida.

Plantas: algumas espécies de árvores e plantas são comuns nos jardins japoneses como as cerejeiras (Sakurá) e ameixeiras (Ume) – plantas sazonais que marcam a mudança das estações e representam a fragilidade da vida. Já o bambu traduz a força, resistência e persistência à frente de ventos e tempestades.

Lanternas: conhecidas como Toro, Yukimi-gata ou Ishidoro são lanternas esculpidas em pedras. Sua localização é planejada para estar ao lado de edifícios importantes ou na lateral das pontes destacando os elementos da natureza. A luz representa a iluminação da mente para os visitantes.

Caminho de pedras: as pedras têm uma forte ligação com a cultura japonesa. Nos jardins, são simbolizadas como caminhos à evolução pessoal e podem ser encontradas em lagoas, riachos, cascatas e mares.