Literatura japonesa conquista países do ocidente

Literatura japonesa conquista países do ocidente

Uma leitura densa, repleta de simbologias e costumes ancestrais representados em tramas complexas. Essa é a definição da marcante literatura japonesa, que tem conquistado países fora da Ásia e apresentado as riqueza do Japão ao mundo de uma maneira diferente.

Os livros mais procurados, atualmente, são os romances, contos, poemas, ensaios e crônicas, e entre os escritores mais famosos estão nomes como Oe Kenzaburo (1935), que venceu o Nobel de Literatura em 1994, e Haruki Murakami (1949), um dos autores mais traduzidos para o português, com livros como “Kafka à beira mar”, “Minha querida Sputnik” e “1Q84”, um de seus sucessos mais recentes.

Mas a importância da literatura no Japão é histórica, já que desde o século VIII, após a introdução da escrita, começaram a surgir as primeiras obras. O governo imperial japonês passou a ordenar que fossem registradas as lendas tradicionais e também os eventos que aconteciam na época, por isso, hoje é possível encontrar publicações de muitos mitos cujos autores são desconhecidos.

Segundo a professora e pesquisadora de Letras, Erika Sumiko, a literatura do Japão, nos primórdios, sofreu influências chinesas, coreanas, indianas e até da Pérsia. Na era moderna, que teve início no Período Meiji (1868-1911), passando por Taishō (1912-1925), Shōwa (1926-1988) e Heisei (1989-atual), é possível constatar, a princípio, heranças portuguesas, holandesa e de outras civilizações indiretamente, e depois a entrada definitiva de referências de outras nações europeias e americanas.

Dois nomes que marcaram esse período foram Tôson Shimazaki (1872-1943) e Natsume Soseki (1867-1916). O romance Hakai, de Tôsan, é considerado até hoje um marco na literatura japonesa, já o autor Soseki foi o que mais influenciou as gerações de escritores que vieram após ele.

Atualmente, despontam como promessas de vendas nas livrarias Ryu Murakami (1952) e Hiromi Kawakami (1958), autora de “Quinquilharias Nakano” e “A valise do professor”. As principais obras japonesas já existem em versões traduzidas para o português, então, aproveite as dicas e escolha uma delas como sua próxima leitura!