Presentear com dinheiro

Presentear com dinheiro

No Japão, muitas ocasiões levam os japoneses a presentear com dinheiro: aniversário, nascimento, casamento e até situações de enfermidades.

O costume remete à época em que não existia o dinheiro em papel, sendo comum a troca de mercadorias, como presentes e até mantimentos, principalmente nas visitas a familiares e amigos.

No Brasil, segundo o especialista em cultura japonesa, Roberto Toshio, “ainda se vê muito esse comportamento entre os descendentes japoneses. A educação em casa é bastante disciplinadora e, por isso, tais costumes permanecem entre as novas gerações”, explica.

Mas, ainda que mantenham a tradição, muitos descendentes não a seguem à risca: ao invés de usarem o tipo específico de envelope para tal finalidade, como diz a regra, optam pela praticidade e utilizam os modelos do mercado brasileiro, destinados para correspondências. Os envelopes adequados são encontrados em papelarias e lojas de conveniência especializadas em produtos orientais.

Confira algumas curiosidades sobre este hábito:

  • Em casamentos, a quantidade de cédulas dentro do envelope deve ser sempre um número ímpar. O motivo é a superstição de que caso haja número par de notas, o valor pode ser dividido igualmente entre o casal, o que pode significar uma possível separação.
  • Em funerais de famílias nipo-brasileiras, é até comum uma espécie de caixa para receber os envelopes. “Esta é uma forma de contribuir com os custos relativos ao velório, enterro e missa”, esclarece Toshio. O especialista alerta ainda para a ação de criminosos que sabem desta tradição e aproveitam os velórios para assaltar a família do ente falecido.
  • No envelope deve estar escrito o nome da pessoa que está fazendo a doação, para que a família faça agradecimentos.
  • Evite valores com o número 4, pois, em japonês, o som do numeral é muito similar ao da palavra “morte”.