Saiba como funciona a saúde pública no Japão

Saiba como funciona a saúde pública no Japão

Um país com as menores taxas de mortalidade infantil do mundo e uma das mais longas expectativas de vida. Essa é a realidade do Japão, que garante o atendimento médico para qualquer pessoa, inclusive aos moradores de rua. Desde 1961, uma emenda sobre a Lei de Seguro de Saúde garante que o governo deve proporcionar o acesso aos tratamentos, assim como segurança e coleta de lixo.

Para entender como funciona por lá, vamos fazer uma pequena comparação com o Brasil: no Japão, as pessoas pagam um convênio por meio de impostos e taxas, já aqui, o atendimento é gratuito. Mesmo assim, a rede japonesa é considerada acessível, eficiente e muito bem equipada com aparelhos de última geração.


O Japão tem a maior proporção de leitos por habitantes entre os países ricos, cerca de 15 para cada mil pessoas, enquanto aqui, o número é de 2,9 leitos por mil cidadãos. O atendimento nos hospitais é bem rápido, você não enfrenta fila e a média de espera é de 20 minutos. Se preferir, ainda tem a opção de reservar seu horário.

O segredo para quem vai viajar ou morar por lá é andar sempre com a carteirinha do convênio, o telefone de um intérprete e dinheiro sobrando para caso precise gastar com remédios. Mesmo que seja referência internacional, é importante reforçar que não existe um sistema de saúde perfeito, ou seja, todos os modelos devem ser abrangentes e eficientes.

Curiosidade:

  • Alguns hospitais do Japão têm lojas, bancas de revistas, máquinas de vendas, correios e outras utilidades.