Símbolos do Japão, templos e santuários se destacam pela beleza arquitetônica

Símbolos do Japão, templos e santuários se destacam pela beleza arquitetônica

Referência da arquitetura japonesa, os templos religiosos estão espalhados por todo o país. Ao lado dos santuários, essas construções apresentam algumas das estruturas mais antigas e preciosas e são símbolos da cultura nacional. Enquanto os templos são dedicados à prática do budismo, os santuários se voltam ao xintoísmo, as duas principais religiões do Japão.

O templo é marcado por um pagode, ou seja, uma torre com vários níveis e de telhado curvado. Um grande portão de entrada também faz parte da obra, e ao cruzá-lo os religiosos consideram estar em uma área sagrada. Já os santuários têm à sua frente o torii (portal muitas vezes pintado de vermelho), e a partir dele um caminho que leva até o espaço principal de culto.

Os rituais de oração são bem simples em cada um desses locais. Nos templos, acende-se um incenso e no santuário é feita uma oferenda à divindade com uma moeda e, em seguida, se lava as mãos com a água corrente, já que o elemento é considerado purificador de impurezas. O período do ano novo é quando eles têm sua maior visitação, já que, pelo costume, os japoneses vão orar e pedir por saúde e sorte no ano que se inicia.

Esses locais fazem parte do roteiro turístico do Japão, sendo muito visitados por turistas de todo o mundo. Além de grandes e belas obras arquitetônicas, os templos e santuários fazem parte da tradição cultural e histórica do país. Muitos dos templos mais conhecidos estão concentrados entre Tóquio, Nara e Quioto. Alguns exemplos são: Asakusa; Itsukushima (este em Miyajima); Todai-ji; Kinkaku-ji; e Kiyomizu dera. Confira:

Templo Asakusa: conhecido também como Senso-ji e localizado em Tóquio, é rodeado por lojinhas e restaurantes. Foi construído em 645 em homenagem à deusa da misericórdia, Kannon. Tem um pagode de cinco andares ao lado do salão principal e grandes lanternas vermelhas.

Santuário Itsukushima: conhecido como o “santuário flutuante”, pois é banhado pelas águas na maré alta, está localizado na ilha de Miyajima, província de Hiroshima. Construído em 539, é Patrimônio Histórico pela Unesco e seu torii é retratado em cartão postal.

Templo Todai-ji: a atração mais famosa de Nara, erguida em 752. Em seu pavilhão principal está o Grande Buda, hoje uma réplica de 15 metros de altura, sua maior estátua feita em bronze. Nos arredores, os cervos, considerados mensageiros sagrados, ficam soltos e em contato com os visitantes.

Templo Kinkaku-ji: apesar de sua imensa beleza, a construção atual é versão da original (1937), destruída em um incêndio há décadas. O Templo do Pavilhão Dourado fica rodeado por um lago e tem três andares, sendo dois cobertos com folhas de ouro puro (kin) com uma fênix dourada no topo.

Templo Kiyomizu dera: construído em 778 e o segundo mais antigo de Quioto, é considerado patrimônio cultural da Unesco. Famoso pela fonte considerada sagrada e posicionada em um vale, o nome remete a água fresca (kiyomizu) e quem a beber terá sorte e purificação.

Portanto, quando for ao Japão, não deixe de conhecer pelo menos algumas dessas belas construções que trazem não só conhecimento histórico, mas também energia para quem está em busca de purificação.