A relação dos japoneses com a soja

A relação dos japoneses com a soja

A culinária japonesa valoriza a sazonalidade dos alimentos, principalmente dos grãos. A soja, alimento básico no oriente, pode ser encontrada em alimentos como tofu, nattô, missô, shoyo, entre outros.

Sabe-se que a planta é originária do extremo oriente, mas não existem registros dos primeiros lugares de cultivo. Há dúvidas entre China, Japão, Índia ou Manchúria. No Brasil, a soja chegou com a imigração japonesa, no início do século 20. Historiadores contam que os imigrantes traziam grãos escondidos em cestos feitos com varas de salgueiro. Depois, eram plantados nos quintais das casas para o cultivo de missô.

Em meados dos anos 70, a produção aumentou, pois a soja se tornou matéria-prima para a indústria do óleo. Suas propriedades derivam da lecitina - um óleo com baixo teor de gordura saturada e alto teor de gordura poliinsaturada. São qualidades para manter o organismo saudável por apresentar ômega 6 e ômega 3.

A boa fama da soja é antiga na cultura japonesa: costuma estar associada à longevidade e à qualidade de vida. No ritual Mamemaki, celebrado no dia 3 de fevereiro, as famílias jogam os grãos pela casa para espantar maus espíritos e garantir saúde ao longo do ano.

http://brasilescola.uol.com.br/japao/100-anos-japao-no-brasil-que-aprendemos-com-os-japoneses.htm

http://www.nippo.com.br/historia_culinaria/n269.php

http://www.gestaonocampo.com.br/biblioteca/historia-da-soja-no-brasil/