Vêm aí, mais novidades tecnológicas do Japão!

Vêm aí, mais novidades tecnológicas do Japão

Já pensou em usar um banheiro inteligente? E em ser recebido em um hotel com recepcionista androide?

No Japão, o uso de robôs no dia a dia já é uma prática comum. Desde o primeiro androide, desenvolvido em 2003, os japoneses contam com os amigos eletrônicos para ajudar em tarefas domésticas, no trabalho, e até no cuidado de pessoas idosas.

As pesquisas tecnológicas são levadas muito a sério no Japão. O governo investe cerca de 200 bilhões de dólares no setor. Esse investimento volta para o povo japonês em forma de desenvolvimento e qualidade de vida. Não param de chegar ao mercado aparelhos e soluções que usam a tecnologia para deixar a vida mais fácil, rápida e confortável.

O robô amigo!

Além de robôs que ajudam nas compras, conferem se as lâmpadas foram apagadas ou se a temperatura do ar condicionado está agradável, as empresas de tecnologia japonesas estão mirando seus lançamentos em robôs domésticos que conseguem detectar se os donos estão alegres, tristes ou carentes. Eles podem dançar ou oferecer uma palavra amiga, para ajudar a animar o humor de quem estiver por perto!

Banheiros pensantes!

Com vasos sanitários inteligentes, os iToilets regulam o odor ambiente, oferecem jatos de água quentinha para ajudar na higiene pessoal e eliminam as bactérias com lâmpadas ultravioletas após o uso. Os iToilets para uso residencial podem ser personalizados de acordo com o usuário e até fazer massagem nas coxas.

Hotéis robotizados!

Não é só na hora de fazer check-in ou check-out que alguns hotéis do Japão estão se valendo de novas possibilidades tecnológicas. Nos hotéis robotizados, quem recebe o hóspede é uma recepcionista-robô e a faxina é feita por faxineiros-robôs. O hotel usa energia solar e o sistema de refrigeração é controlado por radiadores inteligentes, com isso, o desperdício de energia diminui cerca de 30%.

Carro movido a hidrogênio!

Os fabricantes japoneses estão lançando carros em que o hidrogênio é transformado em eletricidade. O automóvel é sustentável e econômico, pois não polui e pode fazer mais de 700 quilômetros sem precisar reabastecer.