Está tudo pronto?

Dicas para quem vai para o Japão

Fortaleça os objetivos e seja organizado

Vai mesmo ao Japão em busca de um futuro melhor? São grandes as expectativas, as dúvidas, a ansiedade. Por isso, queremos ajudá-lo a fazer dessa decisão a melhor oportunidade de sucesso. Para que tudo corra bem, analise todos os pontos antes da partida.

Defina quais são seus planos

Reflita sobre seus objetivos e qual o melhor caminho para concretizá-los. Para vencer um desafio, é preciso ter certeza do que deseja. Do contrário, o desânimo pode surgir na primeira dificuldade.

Estabeleça o tempo que você ficará no Japão

Determine um prazo mínimo de permanência. Criar meta é conveniente para definir o valor que deve levar e para facilitar o planejamento do retorno ao Brasil. Por mais que a adaptação no Japão seja difícil, não retorne antes do prazo. Lembre-se do período mínimo que estabeleceu ao traçar seu plano de viagem. Esta certeza dará mais tranquilidade  para você e confiança para suportar a fase inicial de adaptação.

Trate a viagem como um investimento

O projeto modifica seu dia a dia e afeta a vida das pessoas ao seu redor. Para realizá-lo, você e seus familiares investirão tempo, energia e dinheiro. Por isso, faça um planejamento detalhado em cada etapa do processo. Estabeleça metas do que pretende alcançar no Japão e de quanto está disposto a investir, tanto em termos de tempo, quanto de recursos para a viagem.

Planeje os gastos na ponta do lápis

Ao optar pela viagem, tenha consciência dos custos que terá a partir de agora. Para isso, consulte quais serão os custos da viagem. As despesas variam de acordo com sua opção, se viajará por conta própria ou por meio de uma agência de emprego.

Conheça alguns decasséguis

Converse com pessoas que moraram no Japão e ouça os familiares dos decasséguis. Use a internet para tirar dúvidas com aqueles que vivenciam esta experiência. Esses brasileiros são excelentes fontes de informação e podem ser seus melhores amigos durante a permanência no novo país. Ao escolher para onde ir, procure províncias com uma comunidade brasileira grande, pois os empregadores estão mais acostumados com o perfil do decasségui brasileiro.

Busque o máximo de informação sobre o Japão

Ao mudarmos de emprego, de cidade ou de faculdade, passamos por um processo de adaptação. Por isso, quanto mais você souber sobre o Japão, mais rápido se ajustará à nova realidade. Estude o idioma, conheça a cultura, os hábitos e a rotina do país. Ao acumular informações, mais segurança terá.

Resolva as pendências

Não deixe documentos incompletos, relacionamentos mal resolvidos e faculdade por acabar. Tudo isso faz parte da estruturação do seu projeto. Regularize sua situação na Receita Federal, se houver algo pendente. Para mais informações, consulte Impostos.

Prepare o físico e a mente

Verifique como está a sua saúde

Faça checape em uma clínica de sua confiança. Afinal, terá muito trabalho e a saúde tem de estar perfeita. Oriente-se quanto às vacinas que deverá tomar para se imunizar contra doenças existentes por lá.

Assim como no Brasil, os gastos com saúde pesam bastante no orçamento do trabalhador no Japão. Então, cheque seus direitos trabalhistas e descubra se tem cobertura de seguro-saúde enquanto estiver no Japão.

Não leve agasalhos do Brasil

Os que passaram pela experiência são unânimes em afirmar que levar roupas de inverno do Brasil é fazer volume na mala. Isso porque o frio no Japão é muito mais intenso do que aqui, e nossos agasalhos não garantem o aquecimento adequado. Também não esqueça que as estações do ano no Japão são inversas às brasileiras.

Coloque o projeto em prática

Vá para o Japão com um trabalho certo

Não viaje primeiro para arrumar trabalho depois. O ideal é deixar o Brasil com tudo encaminhado, seja por indicação de alguém que passou por este processo, que trabalha ou estuda por lá, ou pelo serviço de uma agência de emprego.

Pesquise pelas especializadas em trabalhos para decasséguis no Brasil. É essencial que o interessado encontre uma empresa idônea.

Prepare-se para a entrevista de emprego

Após escolher a empresa, você passará por uma entrevista, como numa situação normal de emprego. O propósito da conversa é apresentar o perfil profissional e os próprios objetivos. Assim, será oferecida a vaga que melhor se enquadre ao que você procura. Lembre-se que, para concorrer à oportunidade, terá de comprovar a descendência japonesa, o que é válido até a terceira geração.

Como as agências trabalham

No Japão, as empresas contratam o serviço de uma empreiteira, que funciona como as agências de emprego do Brasil. Ao abrir a vaga, elas entram em contato com firmas brasileiras que fazem o agenciamento.

Há empresas japonesas que aplicam os testes práticos no Brasil mesmo. Isso ocorre muito com os jovens recrutados para a área de produção. Nesses casos, o candidato não tem nenhum custo, apenas o transporte da residência até o aeroporto. No entanto, os custos com passagem e documentos, o que inclui gastos com visto, são pagos depois que o pretendente  estiver empregado. Além disso, o trabalhador terá de arcar com as despesas em alojamento e refeição. Os custos da viagem devem ser pagos em até 5 prestações, as demais são desembolsadas durante toda a estadia no Japão.

Deixe os documentos em dia

Se optar pelos serviços de uma agência de viagens, terá auxílio para regularizar os documentos da viagem. O prazo estimado é de 40 dias, da data da entrevista até o embarque para o Japão. Se preferir resolver pessoalmente, acesse Documentos necessários.

A maior parte das agências em São Paulo providencia vistos japoneses, mas o passaporte, não. O motivo é a própria recomendação do Consulado, de que o documento só pode ser solicitado às autoridades do País pelo solicitante ou por familiares próximos, como pai, mãe, irmão e cônjuge.

Para aprontar os papéis, as empresas cobram uma taxa específica, que varia de agência para agência. Faça uma pesquisa antes de contratar o serviço. Além disso, o poder público japonês cobra uma taxa para concessão do visto. A quantia varia de acordo com a nacionalidade.