Tornando-se um Decasségui

Como se adaptar ao novo país

Escolhendo para onde ir

Sozinho ou acompanhado, por conta própria ou com emprego garantido, o ideal é se instalar em regiões onde o número de brasileiros é grande. Assim, a adaptação é mais fácil.

De acordo com a última pesquisa do Ministério da Justiça, publicada em 2016, existem 176.284 brasileiros no país. A Província de Aichi registra o maior grupo brasileiro, com 47.695 pessoas, enquanto Akita tem apenas 8.

As 10 regiões com maior número de brasileiros no Japão
  • Província
  • Aichi
  • Shizuoka
  • Mie
  • Gunma
  • Gifu
  • Kanagawa
  • Shiga
  • Saitama
  • Ibaraki
  • Nagano
  • Total de brasileiros
  • 47.695
  • 26.476
  • 12.559
  • 11.942
  • 9.984
  • 8.373
  • 7.669
  • 7.390
  • 5.882
  • 5.269
Informação reduz dificuldades

Quem vai trabalhar no Japão será mais um decasségui. A nova realidade exige preparação para que as experiências pessoal e profissional sejam positivas.

O Sebrae, em parceria com a Associação Brasileira de Decasséguis (ABD), elaborou um levantamento com base em depoimentos dos decasséguis, que aponta uma lista das principais dificuldades enfrentadas na ida ao Japão. Conhecê-las pode ajudar a enfrentá-las.

Confira as principais barreiras – que podem ser solucionadas com informação e planejamento:

  • Desconhecimento do idioma e da realidade japonesa, o que atrapalha a integração
  • Desconhecimento da legislação trabalhista e previdenciária – pode levar a abusos por parte dos empregadores
  • Cansaço por causa da carga horária excessiva, o que impede a adaptação ao novo trabalho
  • Recrutamento por pessoas de má-fé ou de agências em situação irregular
  • Dificuldades psicológicas e de ordem familiar, quando o parceiro(a) fica no Brasil
  • Discriminação por ser estrangeiro
  • Saudades do Brasil